Entre. Mas não bagunce, por favor!

20.11.15





Tudo bem, eu deixo você entrar. Mas não bagunce, por favor. É que eu gosto das coisas assim arrumadinhas, e dá trabalho colocar tudo no lugar. Cada móvel, cada detalhezinho, foi tudo escolhido com muito cuidado e me custou alguns sacrifícios. Não é justo você entrar e bagunçar tudo - você num concorda?! Não tenha receio de entrar, eu deixo você ficar à vontade – me corazón tu corazón.
Você pode mexer nos discos, nos filmes, pode tomar a cerveja que ta na geladeira e comer o pudim de ontem, eu não me importo. Mas não bagunce, por favor. É a única coisa que eu te peço. Eu deixo você entrar e sair a qualquer hora. Num precisa nem deixar um bilhete de despedida na porta da geladeira, se você não quiser. Eu só te peço que não tire os móveis do lugar, não deixe coisas espalhadas pelo chão e nem quebre nada. Eu gosto de tudo que tem aqui, elas são lembranças das minhas andanças pela vida. Não estranhe meu pedido, é que eu tenho a mania de só fazer as minhas coisas se tudo aqui tiver arrumadinho.  Já tentei, juro! Mas não consigo ouvir meus discos, ver meus filmes, ler meus livros e até mesmo ir à praia se as coisas aqui estiverem bagunçadas. Eu sei que não é fácil, a gente acaba esbarrando em alguma coisa e quebrando sem querer. Mas faça um esforço, vai. Não bagunce, por favor. Eu prometo que deixo você voltar mais algumas vezes. Eu faço até uma torta inteira de amora pro jantar se você prometer não bagunçar. Combinado?!



Nenhum comentário:

Postar um comentário