Amores de Facebook

4.1.17



São fotos e mais fotos todas seguidas de legendas bonitinhas de música de Nando Reis enfeitadas com emoji de carinhas apaixonadas e coraçõezinhos. São textões exaltando as qualidades do amado e uma insistência enorme em dizer que é um presente de Deus.

Como uma boa pisciana, eu poderia suspirar quando visse essas postagens. Poderia achar a coisa-mais-linda-desse-mundo, se visse tudo isso em um blog ou lesse num livro de romance.  Poderia pensar como Deus realmente foi generoso com essas pessoas e as deram parceiros tão gentis em uma relação tão estável.

Mas esses enamorados estão nas minhas redes sociais e por tanto eu conheço a intimidade de boa parte deles. Aí eu te digo com todas as letras e sem nenhum medo de equívoco: NÃO TENHAM INVEJA DE AMORES DE FACEBOOK.

Quanto maior é o amor no Facebook, menos ele é na vida real.

Em boa parte das publicações (para não dizer em quase todas) as pessoas tentam vender um amor que não existe. Elas não são felizes, mas querem que você as achem felizes. Seus parceiros não as respeitam, mas elas querem te convencer que tem o melhor parceiro do mundo. Talvez elas acreditem que nos convencendo que são felizes, elas se tornem de fato felizes.

E isso é um ciclo tão vicioso, que elas também acreditam nos amores que elas veem na própria timeline e para não mostrar que tem um amor “menor” acabam contribuindo para esse romantismo fake. Há uma inversão do que é ser ou está feliz. Preocupam-se em demostrar uma felicidade que não existe e se esquecem de ser felizes de verdade.

Se você está solteira e olha para essas postagens com aquele ar de “ah como eu queria encontrar alguém assim” não se iluda. Provavelmente, você está bem mais feliz do que elas. 




2 comentários:

  1. E nesse mundo de aparências, o que não é dito parece falar mais do que aquilo q é dito...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Né isso Jane, a felicidade silencia enquanto que a trista grita querendo se disfarçar de aleria

      Excluir