Como Eu Posso Me Amar Bem?

20.6.17

amor prorpio


Quando não nos amamos o suficiente e acabamos amando um ser qualquer.

Muitas mulheres, e por que não a grande, maioria têm sempre a impressão de amar alguém que na verdade nem bem conhece... Se diz apaixonada, apresenta seus sonhos e seus desejos a alguém que não a considera de verdade, que finge consideração e até mesmo afeto.


Essa confiança gratuita nesse ser que ela não conhece representa tanto de uma personalidade: auto estima pouco fortalecida, auto imagem estruturada em moldes pouco saudáveis de afeto, o que se reproduz a elaboração de relações baseadas em migalhas e afeto descompromissado. E o mais incrível nessas relações: A mulher realmente acredita que pode ser amada por esse homem...

Muitos poderiam dizer que isso é um comportamento ingênuo da mulher, carência, apego inseguro, diante do outro, que parece desafiador no processo de conquista. Mas como cada caso é singular e cada mulher é única, só ela mesma terá sua própria resposta. Cada um de nós é uma caixa de mistérios, talvez o que devêssemos saber é o quanto somos de fato especiais, somos especiais para os nossos pais, para os nossos amigos queridos e por que não para os que realmente nos amam e não percebemos.

Precisamos através das nossas próprias estratégias sejam elas: terapia, auto reconhecimento individual, espiritualidade, ou mesmo, uma nova elaboração do amor próprio, do amor nas suas verdadeiras bases, sendo essas, segurança, autovalorização e auto cuidado. O amor próprio é o que na verdade precisa nos conduzir para que enfim não caíamos no limbo do desrespeito e da autocompaixão.



Nenhum comentário:

Postar um comentário